quinta-feira, 23 de março de 2017

MA é o 2º estado com mais crianças em situação de pobreza no Brasil

Estado possui 1.239.396 de crianças e adolescentes em extrema pobreza.
Dados referentes ao ano de 2015 foram divulgados pela Fundação Abrinq.

O antropólogo Carlos Benedito Rodrigues pontua que os números do relatório demonstram um reflexo histórico da falta de oportunidade em nosso país.

O estado do Maranhão é o segundo estado do Brasil onde há mais crianças e adolescentes em situação de pobreza, segundo os dados do Cenário da Infância e da Adolescência divulgado pela Fundação Abrinq. Os dados divulgados são referentes ao ano de 2015.
De acordo com o relatório, o Maranhão possui atualmente 1.239.396 de crianças e adolescentes, com idade entre 0 a 14 anos, em situação de pobreza ou extrema pobreza. O estado fica atrás apenas de Pernambuco que aparece em primeiro lugar no ranking com 1.242.840 de crianças e adolescentes.“É um reflexo de um processo histórico que vai se reproduzindo num processo de empobrecimento da população por falta de acesso ao trabalho, por falta de reconhecimento do trabalho que se faz também, uma má distribuição de rendas no país que incide principalmente, nas famílias de baixa renda, onde não tem condições de dar uma assistência, uma qualidade de vida no lar para os seus filhos”, disse o antropólogo.
Foram avaliados 23 indicadores sociais, como mortalidade, nutrição, gravidez na adolescência, cobertura de creches, escolarização, trabalho infantil, saneamento básico e violência.
Sobre os dados, por meio de nota, o governo do estado do Maranhão disse que desde 2015 vem trabalhando com a criação de programas nas áreas da saúde, educação, cidadania e produção de renda e que 59 milhões de reais foram investidos no programa “Bolsa Escola”. Em relação à saúde, o governo do estado afirmou que houve redução de 30% na taxa de mortalidade infantil, entre 2016 e 2015, nas cidades que receberam o trabalho da Força Estadual de Saúde.
Fonte: G1.com.br./maranhao

quarta-feira, 22 de março de 2017

Prefeitura de Coelho Neto não consegue resolver os problemas da educação



 
(Foto: Internet) Prefeito Américo de Sousa
O descaso do governo Américo de Sousa (PT) na área de Educação beira ao desrespeito para com pais, mães e alunos. A falta de sensibilidade é evidente. Enquanto a gestão vira as costas para os problemas do setor, a comunidade estudantil sofre diariamente para chegar às salas de aulas. As crianças entram às sete da manhã e retornam as nove porque a merenda escolar ainda não foi disponibilizada. Nas salas, cedidas pela Escola Chapeuzinho Vermelho, no centro, algumas mães preferem aguardar a saída dos filhos porque já não aguentam mais o sobe e desce da caminhada. Na zona rural, em alguns setores o ano letivo ainda não começou. Faltam professores e transporte escolar. O ensino regular está sendo encarado como a última das prioridades. A população começa a se mobilizar. Pais e mães de alunos do Bairro São Francisco, por exemplo, estão providenciando um abaixo-assinado para pressionarem o prefeito e o secretário da pasta a promoverem a regularização do setor. Realmente é tudo muito discutível. Não se justifica tanto descaso, afinal, a desculpa anterior era que a prefeitura precisava fazer as licitações do transporte e da merenda. Pelo que se sabe, os pregões já foram realizados. Tá faltando o quê? Falou-se em seletivo para contratação de professores, porém, nada disso funcionou ainda. O governo parece emperrado em “picuinhas” e não procura ser efetivo nas questões prioritárias. E haja transtornos! Enquanto isso, o governo se encastela numa zona de conforto onde nada produz, nada resolve.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Pequenos e Microempresários são afetados pela má gestão do prefeito Américo de Sousa

A Agência foi criada para assistir os pequenos e microempreendedores do município
Os pequenos e microempresários de Coelho Neto estão com atendimento prejudicado na Agência Municipal do Trabalho. Os mais de 200 empreendedores não contam mais com os cursos de capacitação do SEBRAE simplesmente porque a prefeitura não se interessou mais pelo setor desde se instalou a gestão do prefeito Américo de Sousa (PT). Eles denunciam que os servidores capacitados para esse tipo de serviço ou foram dispensados ou não tiveram seus contratos renovados. Atualmente, apenas um funcionário está se desdobrando para atender a demanda. Faltam equipamentos e até material de expediente. Sobre a capacitação, ela é importante na construção de resultados práticos visando a excelência dessas Pequenas e Microempresas. Mas, parece que a administração municipal não consegue ver isso. Até o fim da semana que passou os empreendedores, que precisavam de um simples boleto, eram mandados para uma lan house. 

Rafael Leitoa usa do oportunismo para se reaproximar de Coelho Neto

(Foto; Inernet): Américo de Sousa e Rafael Leitoa: desgaste de um, oportunismo do outro.
A atuação do deputado estadual Rafael Leitoa(PDT), tão divulgada nos meios de comunicação em parte da região dos cocais, não condiz com a realidade.Trata-se apenas de discursos vazios, sem efeito prático. Vale lembrar que ele não se elegeu. Assumiu a vaga de deputado, na condição de suplente, depois de um acordo com o governador eleito Flávio Dino (PC do B). Na campanha de 2014 foi apresentado ao povo de Coelho Neto pelo então suplente de vereador Ezequias do Esporte e por este radialista e blogueiro. Agora, com a aproximação de um novo pleito eleitoral, é que ele aparece se dizendo defensor dos trabalhadores e dos interesses da população coelhonetense. Esse declarado afeto por nossa gente coloca em dúvida até a ligação sentimental dele com sua terra natal, Timon. Ora, bem sabemos dos truques que são arquitetados nos bastidores políticos quando o assunto é eleição estadual. Os “pipiras” aparecem como pais da criança! Entrementes, a farsa dos “Leitoa” é antiga em Coelho Neto. E, agora, de novo, eles voltam. Desta vez, amparados no “apoio” do prefeito Américo de Sousa (PT), o qual, sem exagero, já é o gestor mais desgastado da região. Quanto a atuação do deputado por Coelho Neto ela é discutível. 
Dep. Fed. Hildo Rocha
A recuperação da MA-034, por exemplo, há muito tempo era pra ter sido feita, pois trata-se de recursos oriundos de um empréstimo do governo Roseana Sarney, junto ao BNDES, atendendo demanda do então prefeito Soliney Silva (PMDB) quando da efetivação do projeto estadual de reforma e construção de rodovias. A morosidade na recuperação da rodovia foi, inclusive, motivo de muitos discursos e denúncias do deputado Hildo Rocha (PMDB) na Câmara Federal. Agora, Rafael Leitoa aparece como o “pai da criança”. Muito hilário! As pretensões do parlamentar vão mais além. Na tribuna da Assembleia Legislativa se colocou, por diversas vezes, na condição de defensor dos trabalhadores do Grupo João Santos. Tudo não passou de falácia! O grupo faliu e até agora não se sabe quando esses trabalhadores vão receber seus proventos. No tocante a aquisição de uma ambulância, em que ele se coloca como o responsável pelo aditamento, na verdade esse veículo há muito deveria estar à serviço da saúde no município, mas, não veio antes por pura perseguição do governador Flávio Dino com o ex-gestor. Todo esse “auê” do deputado Rafael Leitoa deixa transparecer o seu oportunismo para se aproveitar de uma situação que já vem se arrastando por muito tempo e, que, somente agora, à porta de um novo pleito eleitoral, ele se apresenta como voz vibrante em defesa dessas pessoas. Nada contra, mas achamos que o deputado e o seu prefeito precisam, na mesma proporção, merecer o apoio do povo coelhonetense, porque de conversa fiada nossos ouvidos estão cheios.

sexta-feira, 17 de março de 2017

Câmara aprova Reforma administrativa e dar cheque em branco ao prefeito Américo de Sousa.


 A Câmara Municipal de Coelho Neto (MA), numa sessão longa e cansativa, sob olhares de uma volumosa plateia,  aprovou o PL nº 009/2017, que dispõe sobre a reforma administrativa do governo Américo de Sousa (PT).
Iniciados os debates, o líder do PMDB, vereador Rafael Cruz, se disse surpreso com a apresentação de emendas ao projeto sem o seu conhecimento, o que considerou um desrespeito à oposição. O vereador afirmou que a matéria continha vícios que precisavam ser combatidos pela casa, citando, como exemplo, a nomeação de 60 assessores setoriais para a Secretaria de Articulação Política, sem função definida; criação de Coordenadorias Regionais de Acompanhamento Administrativo sem fim especificado no projeto. “Estou temendo, senhores vereadores, que este projeto seja apenas um casulo de lagartas”, disse o vereador, arrancando aplausos da plateia.
Vereador Rafael Cruz (D)
Comentou que o artigo 51, ao invés de enlaçar os anexos I, II e III simplesmente ampliava poderes ao prefeito para alterar quantitativos, simbologia, denominação de funções e remuneração sem apreciação da Câmara. Segundo Rafael, o artigo 53 praticamente pedia à Câmara um cheque em branco ao prefeito quando, na verdade, esse tipo de matéria depende de aprovação dos vereadores. Após expor seus esclarecimentos, o oposicionista pediu vistas ao projeto e que a Mesa Diretora convocasse o governo municipal para esclarecimento das dúvidas, o que foi rejeitado pela maioria. Diante da rejeição, Rafael Cruz orientou a bancada do seu partido, composta de 5 vereadores, votar pela rejeição ao PL.

Prefeito na plateia
 
Prefeito Américo na plateia
O prefeito Américo de Sousa, talvez por desconfiança na base governista, mobilizou secretários e assessores e compareceram à sessão. A sua presença na plateia, na opinião de muitos, ao invés de soar como um gesto de prestígio, soou como intimidação à base aliada.

Discussão e votação
 
Vereador Marcos Tourinho
A reforma, que teve a votação suspensa na sessão anterior, atendendo ao pedido de vistas do vereador Marcos Tourinho (PDT), entrou na ordem do dia seguida de três emendas, em que o parlamentar (que também é advogado) pedia supressão e modificação dos artigos 51, 52, 53 e 55 respectivamente. Mas, as emendas apresentadas pelo vereador, que também é presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final, foram bombardeadas pela emenda do relator da citada comissão Júnior Santos (PMDB), que, ao invés de suprimir, pedia a alteração dos artigos 53 e 55. Por dez votos favoráveis, uma abstenção e um voto contra a matéria foi aprovada.

Outros destaques
Dr. Jardel Seles

No pequeno expediente da sessão de ontem (16,) foi concedido ao advogado Jardel Seles o direito de ocupar a tribuna, para falar a respeito dos empenhos deixados pelo ex-prefeito Soliney Silva (PMDB). Ele afirmou que o problema não é falta de recursos e, sim, de ordem política. Na análise dele, os contratados têm o direito sagrado de receberem seus vencimentos sem que o executivo responda judicialmente. Ele pediu à Câmara e ao Executivo que deixem as questões políticas de lado e adotem um gesto de compaixão para resolver o problema.

Câmara ajoelhada

Foi só o prefeito ser visto na plateia para os vereadores aliados iniciarem uma sequência de louvores ao “chefe”. O vereador Luis Ramos (PSD) não poupou ataques ao ex-gestor Soliney Silva (PMDB), acusando-o de haver transformado a cidade uma bagunça, e que os empenhos não passavam de uma farsa, pois não deixou um centavo em caixa.
 
Vereador Luis Ramos
Aparentemente orgulhoso por ter sido indicado líder do atual governo na Câmara, o parlamentar parecia esquecido de que fez parte da base aliada do então prefeito Soliney e que suas acusações contra este, se é que procedem, têm a sua participação. Esqueceu-se, também, que no final da gestão anterior ele foi pré-candidato à presidência da casa, sob indicação de Soliney. A postura de Luis Ramos foi bastante ironizada pelo vereador Rafael Cruz.








quinta-feira, 16 de março de 2017

“Se Coelho Neto fosse o inferno, o prefeito seria Americão”, diz moradora.

A população convive com o agravamento diário dos problemas do município

A cidade de Coelho Neto parece mesmo jogada às traças. Os problemas se acumulam a cada instante sem que o prefeito Américo de Sousa (PT) tome providências adequadas para resolvê-los. A população já começa a perder as esperanças de que algum dia tudo volte à normalidade. O agravamento da situação pode ser visto e sentido em todos os setores públicos. Na Assistência Social as mães precisam enfrentar fila na madrugada, muitas delas com crianças de colo, para conseguirem atendimento. Apenas 30 senhas são distribuídas por dia. Os constrangimentos continuam na Saúde. Na UPA, por exemplo, onde o atendimento é precário, até o aparelho ar condicionado da recepção parou de funcionar. Denúncia nas redes sociais dão conta de que a tesouraria da prefeitura está funcionando na casa de uma das secretárias do prefeito, no Bairro Mutirão. Que absurdo! 
Lixo amontoado nas ruas

Rua tomada pelo matagal
Na Secretaria de Obras, nada se resolve. Prova disso é o estado calamitoso em que se encontram as ruas e avenidas da cidade: buracos, lama, matagal, lixo e até carniça sendo disputada por urubus. Na Educação os constrangimentos continuam: faltam professores, salas de aulas, carteiras, equipamentos, merenda e transporte. Aliás, sobre o transporte escolar, um motorista, concursado, que preferiu o anonimato, disse ter comunicado ao chefe dos transportes, conhecido pelo nome de  Mauro, que alguns ônibus, inclusive o que ele dirigia, não passaram por revisão e apresentavam problemas nos freios. 

Ônibus escolar sem  freios

Denunciou que a prefeitura, ao invés de mandar concertar os freios, optou pelo isolamento das rodas. Isto é de uma irresponsabilidade sem tamanho, pois coloca em risco a vida dos alunos que utilizam esse tipo de transporte.  Diante de um cenário deprimente como esse, não seria demasiado afirmar que o que está faltando mesmo, é atitude e vontade política do governo municipal para resolver os problemas. 

Prefeito Américo de Sousa
Uma dona de casa do Bairro Bela Vista, que preferiu não se identificar, denunciou que os moradores estão comprando água de um carro-pipa porque o abastecimento, feito pela prefeitura, não está ocorrendo. “Vou lhe dizer, se Coelho Neto fosse o inferno, o prefeito seria o Americão! Esse aí veio de encomenda”, ironizou. Este portal apurou que o abastecimento de água pelo SAAE está prejudicado devido pane em seis bombas. Os equipamentos estão em Teresina, devidamente revisados, mas não vieram ainda por falta de transporte.  Apuramos que uma moradora foi reclamar providências no SAAE, mas foi ironizada pelo subchefe do setor Afonso Bastos ao lhe perguntar se não estaria chovendo. As decisões referentes ao setor passam pelo suposto secretário de administração, o caxiense Walkimar Neto. Este, segundo as informações, estaria se tornando um desafeto para o chefe do setor Francisco Doroteu, por está travando a normalidade do abastecimento d'água da população. Comenta-se até uma insatisfação de Doroteu com relação ao seu salário. Isto conota que o governo, além de não planejar suas ações, está pisando nos próprios calos. Com a palavra o Ministério Público.

quarta-feira, 15 de março de 2017

Sindicatos e movimentos sociais fazem paralisação em 25 estados e no DF em protesto contra a reforma da previdência e do trabalho


Trabalhadores de todas as categorias participam do Dia Nacional de Paralisação
A classe trabalhadora começou a ocupar as ruas de todo o país desde as primeiras horas desta quarta-feira, 15 de março, para um Dia Nacional de Paralisação. A data, que marca o início da greve geral dos trabalhadores da educação, será encorpada por diversas categorias de trabalhadores, como servidores públicos municipais, estaduais e federais; do transporte coletivo; metroviários; metalúrgicos; bancários, entre outros, e, ainda pelas frentes Povo Sem Medo, Brasil Popular, MST e MTST. Centrais sindicais e movimentos populares apostam no dia nacional de paralisação, para influenciar as votações no Congresso contra as propostas de reformas Trabalhista e da Previdência Social. 
No Congresso
(Foto: EXAME.com) Sessão da Câmara Federal

Enquanto isso, as reformas seguem em discussão na Câmara dos Deputados. Amanhã, quinta (16), às 9h30min, haverá novas reuniões da Comissão Especial que discute a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, de reforma da Previdência. Às 09h00, também se reúnem os parlamentares que analisam o Projeto de Lei 6.787, que propõe mudanças na legislação trabalhista. As centrais se dividem entre apresentar emendas e vetar integralmente os textos governistas. Ambas as propostas serão alteradas, tanto nas comissões como em plenário, afirma o analista política Marcos Verlaine, do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). "A reforma da Previdência, como está formatada, não passa no Congresso Nacional, nem na Câmara e nem tampouco no Senado. Como o governo pesou muito a mão quando elaborou a proposta, o Legislativo não terá como não fazer adequações, mudanças e aperfeiçoamentos no texto, pois se assim não fizer, os projetos eleitorais e reeleitorais dos congressistas estarão ameaçados", escreveu em artigo. Em relação ao PL 6.787, a avaliação é menos otimista. Para o assessor parlamentar, o texto será alterado para pior. "A PEC 287 é criticada por todos, da base do governo à oposição. A trabalhista não. Só a oposição faz críticas ao texto do governo. Isto é um indicativo objetivo que o projeto será 'turbinado' pela maioria da Câmara." Segundo Verlaine, a bancada empresarial no Congresso trabalha para tornar o projeto menos "tímido", citando definição do próprio presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).
Protestos


Em Brasília, o ato iniciou na frente da Catedral, na Esplanada dos Ministérios, com concentração às 8h. Já em São Paulo, o protesto está marcado para as 16 horas, na frente do Masp, na Avenida Paulista. Apenas o estado do Mato Grosso do Sul não possui manifestações agendadas, segundo informações divulgadas pela CUT. Os protestos envolvem categorias dos setores de transportes, educação, estudantes, bancários, trabalhadores dos Correios, entre outros. 
*EXAME.com - Portal Terra.com